Federação Catarinense de Hipismo

Área restrita




Regulamento 2009

TEMPORADA 2009

REGULAMENTAÇÃO

DE PROVAS OFICIAIS

Capítulo I- Ranking Geral FCH

Capítulo II- Regulamentação das Escolas de Equitação

Capítulo III- Campeonatos Catarinenses por Categorias

Capítulo IV- Critérios de Seleção na formação de equipes representativas em Campeonatos Brasileiros

 

A Federação Catarinense de Hipismo torna público a todas as Entidades Filiadas, aos Instrutores de Equitação, Cavaleiros e Amazonas, a regulamentação que irá vigorar no ano de 2009, pertinente às competições e/ou formação de equipes.

CAPÍTULO I
RANKING GERAL DA FCH

 

CRITÉRIO GERAIS

Art. 1º - A Federação Catarinense de Hipismo institui a partir de 1º de Janeiro de 2009 o Ranking Geral da FCH, um ranking anual, que leva em consideração os pontos obtidos no período exclusivo de 1º de Janeiro a 31 de Dezembro de cada ano.

Parágrafo único – o Ranking Geral FCH, visa disciplinar as competições que serão promovidas no ano 2009, de maneira global, tendo em disputa os títulos de campeão e de vice-campeão, nas diferentes categorias e alturas em que serão disputados, bem como padronizar as condutas das Entidades que irão sediar as provas oficiais em Santa Catarina, além de regular a pontuação de atletas com participações em provas fora de Santa Catarina.

Art. 2º - A elaboração e divulgação da listagem deste RANKING será de competência do Diretor de Saltos e/ou por designação do Presidente da FCH.

1 - A listagem será atualizada semanalmente, no entanto será divulgada somente em cada primeira semana do mês.

2 - A listagem do Ranking inicia-se no dia 1º de Janeiro de cada ano, sem pontos transportáveis ao ano seguinte.

Art. 3º - Cada cavaleiro ao se filiar, se inscrever no Ranking deverá informar a categoria em que vai iniciar sua participação. Este atleta tem o direito de permanecer nela, salvo por impedimento de idade, por tempo indeterminado, mesmo que participe em competições oficiais fora de sua categoria. Neste caso os pontos creditados serão tão somente os conquistados nas provas onde houver chamada específica para a categoria onde o atleta estiver escrito neste ranking.

Parágrafo único - No ranking de Cavalos Novos, para potros devidamente registrados em qualquer stud book oficial e/ou por declaração de idade emitida por três veterinários credenciados na FCH, os pontos serão creditados aos cavalos, independente do cavaleiro Sênior ou Júnior que o apresentar.

SISTEMA DE PONTOS

Art. 4º - Todas as competições (provas) estão enquadradas em grupos, dependendo de seu nível, grau de dificuldade, etc.

Art. 5º - Nas competições individuais, os cavaleiros obtêm pontos conforme sua classificação na prova. As escalas de pontos são distintas, de acordo com o Concurso participado, conforme tabelas do Artigo 9º .

1 - Para efeito de pontuação no Ranking Geral - por categoria, tanto para cavaleiros, amazonas e/ou cavalos novos, e reconhecimento oficial dos títulos ao final do ano, deverá haver a participação mínima em pelo menos 3(três) dos 12(doze) concursos do Ranking FCH, caso contrário, não serão distribuídos troféus no final do ano.

2 - Pontos obtidos por atletas empatados serão somados e divididos igualmente entre eles.

3 - Duas casas decimais serão mantidas na pontuação. A segunda casa decimal será arredondada para cima a partir de 0,05 e para baixo a partir de 0,04.

4 - Para as competições por equipes, não serão creditados pontos.

5 - Atletas que participarem com mais de um cavalo na mesma altura nas competições, receberão somente a pontuação conquistada com o cavalo melhor colocado.

6 – Para a pontuação ser auferida em provas do Calendário da CBH(CSN, CBS) realizadas fora do Estado de Santa Catarina, o atleta participante deverá informar a FCH por e-mail a sua classificação oficial entre os 6(seis) primeiros colocados em até 5(cinco) dias úteis posteriores a realização da prova, visando a homologação do resultado obtido junto a Federação que realizou o evento, caso contrário os pontos obtidos não serão computados.

Art. 6º - Para efeito de pontuação no Ranking Geral FCH, serão excluídas as competições: Campeonato Catarinense e Brasileiro de Amazonas, Percursos Simultâneos, Potência, Seis Barras, Revezamento, Provas de Equipes, e Provas Especiais.

Art. 7º - Não há limite de número de provas por evento que adicionarão pontos, elas serão válidas desde que atendam às especificações de cada grupo.

Art. 8º - Não há limite de quantidade de resultados a contar para cada atleta durante o ano.

DEFINIÇÃO DAS PROVAS VÁLIDAS AO RANKING GERAL FCH

Art. 9º - As competições válidas para o Ranking Geral FCH, serão mais valorizadas nas provas realizadas em Santa Catarina, na pontuação para todas as Categorias, e são as dispostas no quadro abaixo, em provas individuais.

A - Seis concursos compostos de doze provas do Ranking anual FCH
B - Campeonatos Catarinenses das Categorias, com exceção do C.C. Amazonas
C - Concursos de Saltos Nacional realizados em Santa Catarina
D - Concursos de Saltos Nacional realizados fora de Santa Catarina, com pontuação especial
E - Campeonatos Brasileiros de Salto, exceto Amazonas, com pontuação especial
F - Outros Campeonatos oficiais CBH/FEI, com pontuação especial

 

TABELA DE PONTUAÇÕES

Art. 10º - Para os Concursos A, B, C(do artigo 9º - provas realizadas em Santa Catarina) teremos resultados independentes - por dia, e serão atribuídos pontos de acordo com a tabela abaixo, sempre com os resultados oficialmente homologados pelo Júri de Campo. Nos concursos da letra “B”, valerão somente os resultados finais.

N° conjuntos na Categoria 16 15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1
Classificação

20

19

18

17

16

15

14

13

12

11

10

9

8

7

6

5
17 16 15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 -
15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 -  
13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 -    
12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 -      
11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 -        
10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 -          
9 8 7 6 5 4 3 2 1 -            
8 7 6 5 4 3 2 1 -              
10° 7 6 5 4 3 2 1 -                
11° 6 5 4 3 2 1 -                  
12° 5 4 3 2 1 -                    
13° 4 3 2 1 -                      
14° 3 2 1 -                        
15° 2 1 -                          
16° 1 -                            

-acima de 16 conjuntos participantes na categoria, utiliza-se a tabela de 16.

-os eliminados não somarão pontos, mas aparecerão como participantes “El”

-os desistentes que iniciarem o percurso e interromperem não somarão pontos, mas aparecerão como “D”

Parágrafo único - Para os Concursos D, E, F(do artigo 9º - provas realizadas fora de Santa Catarina) teremos resultados independentes - por dia para os Concursos de Salto Nacionais, e para os Campeonatos Brasileiros de Salto serão considerados os resultados finais, com atribuição de pontos de acordo com a tabela abaixo, sempre com os resultados oficialmente homologados pelo Júri de Campo.

Classificação (provas fora de SC) Pontuação
8
6
4
3
2
1

CALENDÁRIO DAS PROVAS A SEREM REALIZADAS EM SANTA CATARINA

Art. 11 – Serão creditados pontos no Calendário das provas a serem realizadas em Santa Catarina(exceto C.C.Amazonas), inclusive em eventual inclusão de algum Concurso de Salto Nacional, além do calendário oficial da CBH.

* Eventuais mudanças, serão comunicadas com a devida antecedência.

Etapas e Campeonatos Catarinenses por Categorias Datas Entidades Sedes Cidades
1ª E 14 e 15/março JCC Joinville
2ª E Abril SHC Florianópolis
3ª E + C.C. Master Maio SHJ Jaraguá do Sul
C.C. MM, Pré M, MR e JC Junho SHC Florianópolis
CSN Copa Sul Junho Cehip Florianópolis
4ª E Agosto CELeme Joinville
C.C. Escolas, SR, CN e AM Setembro CELeme Joinville
5ª E Outubro JCC Joinville
C.C. Amazonas Outubro PEQ Gaspar
* JASC(a confirmar CED) Novembro FCH Chapecó
6ª E Dezembro SHC Florianópolis

* JASC – não conta pontuação para o Ranking Geral FCH.

Art. 12 - REGULAMENTAÇÃO - O ranking será regido pelo(a):

-Regulamento Geral e Regulamento de Saltos da CBH (última edição);

-Regulamentação específica, aqui definida, do Ranking Geral da FCH 2009;

-Regulamento Veterinário da FCH e da CBH;

-Instruções normativas, publicadas sempre que necessário, pela Diretoria da FCH.

 

 

CATEGORIAS
Art. 13 - Para a disputa do Ranking os cavaleiros e/ou amazonas filiados na FCH, deverão enquadrar-se em uma das categorias como segue:

Provas / Alturas Categorias Categorias Agrupadas para troféus por etapa
1.40m Young Rider, Sênior -YR + SR
1.30m Pré-Júnior, Jovem Cavaleiro Top, Amador Top, Máster Top, Sênior (FCH)*, Cavalos Novos 6/7 anos -PréJr + JC-T + AM-T + MAS-T
-SR + CN
1.20m Mirim, Jovem Cavaleiro, Amador, Máster, Sênior (FCH*) Cavalos Novos 6/7 anos -MR + JC
-AM + MAS
-SR + CN 6/7
1.10m Pré-Mirim, Jovem Cavaleiro A, Amador A, Máster A e Cavalos Novos 5/6 anos, Sênior -PRÈ-MR + JC-A
-AM + MAS-A
-SR + CN 5/6
1.00m Mini-Mirim, Máster B, Jovem Cavaleiro B, Amador B, Cavalos Novos 4/5 anos, aberta para Sênior-entrando no programa da prova-sem disputar o ranking e sem troféus. -MM
-CN 4/5
-AM + MAS
-JC-B 
0.90m Aberta a todas as categorias (FCH)* - Aberta
0.90m - Escola Principal Escola FCH - Escola Principal
0.80m - Escola A Escola FCH* - Escola A
0.60m - Escola B Escola FCH* - Escola B

 

* Categoria adaptada à Federação Catarinense.

** Cavalos Novos deverão apresentar documentação comprobatória da idade.
O Departamento Veterinário da FCH irá definir a instrução normativa específica.

Definição das Categorias por Idades dos Atletas: conforme CBH .

ESCOLA - De janeiro do ano em que completar 8 anos em diante;

MINI-MIRIM - De janeiro do ano que completar 8 anos até dezembro do ano em que atingir 11 anos;

PRÉ-MIRIM - De janeiro do ano em que completar 11 anos até dezembro do ano em que atingir 13 anos;

MIRIM - De janeiro do ano em que completar 12 anos até dezembro do ano em que atingir 14 anos;

PRÉ-JÚNIOR - De janeiro do ano em que completar 14 anos até dezembro do ano em que atingir 16 anos;

JÚNIOR - De janeiro do ano em que completar 14 anos até dezembro do ano em que atingir 18 anos;

YOUNG RIDER - 1,40m - De janeiro do ano em que completar 16 anos até dezembro do ano em que atingir 21 anos;

JOVEM CAVALEIRO B - 1,00m - De janeiro do ano em que completar 12 anos até o dezembro do ano em que atingir 21 anos;

JOVEM CAVALEIRO A - 1,10m - De janeiro do ano em que completar 14 anos até dezembro do ano em que atingir 21 anos;

JOVEM CAVALEIRO - 1,20m - De janeiro do ano em que completar 15 anos até dezembro do ano em que atingir 21 anos;

JOVEM CAVALEIRO TOP - 1,30m - De janeiro do ano em completar 17 anos até dezembro do ano em que atingir 21 anos;

SENIORES - A partir de 18 anos de idade;

AMADORES - De janeiro do ano em que completar 22 anos em diante;

MÁSTER - A partir de 40 anos completos (ano em que completa 40 anos);

ABERTA 0,90m - idade livre;

LADY B (AMAZONA) - 1,00m - De janeiro do ano em que completar 8 anos em diante;

LADY A - 1,10m - De janeiro do ano em que completar 11 anos em diante;

LADY - 1,20m - De janeiro do ano em que completar 12 anos em diante;

LADY TOP - 1,30m - De janeiro do ano em que completar 14 anos em diante;

CAVALOS NOVOS - Segue aglutinações já definidas 4/5, 5/6 e 6/7, com idades dos eqüinos estabelecidas pela CBH.

PONTUAÇÃO


Art. 14
- Concorrentes convidados de outras Federações ou de Equipes Catarinenses em Formação, não filiadas, não irão receber pontuação no ranking, e a pontuação final do concurso será definida sem que os mesmos sejam considerados. A Entidade sede do evento, deverá comunicar (por e-mail) a Federação com antecedência, a relação eventual de seus convidados especiais.

Parágrafo Único Um mesmo conjunto poderá participar de até duas alturas por concurso do Ranking - respeitada a Regulamentação específica por categorias da CBH(escola tem regulamentação própria FCH), recebendo pontuação, porém receberá troféus somente na primeira prova participada e ao final do ano seu eventual título será atribuído somente a maior altura (seja campeão ou vice).

Art. 15 - Será considerado campeão o Atleta que ao término de todos os concursos, obtiver o maior número de pontos das provas mencionadas no Artigo 9º e que tiver participado de no mínimo 3(três) dos 6(seis) Concursos do Ranking Estadual.

Art. 16 - Havendo empate na pontuação final do ranking, são os seguintes os critérios de desempate:

a) maior número de primeiros lugares obtidos;

b) maior número de segundos lugares obtidos;

c) melhor resultado obtido na etapa (dia) em que houve o maior número de concorrentes filiados na categoria ou agrupamento de categorias-provas em SC;

d) melhor resultado obtido no concurso de encerramento do ranking de SC.

 

PROVAS
Art. 17 - As etapas deverão possuir provas com características que permitam a definição de resultados individuais por dia(com exceção dos Camp.Cat. por Categorias)

Art. 18 - As provas das categorias Escolas, Aberta 0.90m, Mini-Mirim, serão disputadas com julgamento ao tempo ideal - com faixa de tempo.

PREMIAÇÃO MÍNIMA E DAS TAXAS

Art. 19 - Aos clubes/entidades caberá fornecer os troféus, medalhas e a premiação mínima em espécie correspondente ao concurso que estiverem sediando.

1 - A pontuação para efeito do Ranking FCH será por dia de prova premiando-se com medalhas para 30% dos concorrentes - limitadas a 6ª. colocação e por categoria, porém a definição dos campeões e vice-campeões do concurso simplesmente para efeito de entrega de troféus, será por contagem olímpica (no somatório dos dois dias de competições). Os troféus serão entregues preferencialmente em pista.

2 - É obrigatória a inscriçãoparticipação nos dois dias de provas em cada Concurso do Ranking FCH para que o atletaconjunto possa concorrer aos troféustítulos em disputa no concurso.

3 - Em Campeonatos Catarinenses serão premiados, no pódio, os 3 (três) melhores classificados, com troféus de ouro, prata e bronze, faixa de campeão e será devolvido o valor da inscrição e da estabulagem do concurso ao campeão.

4 - As premiações mínimas em espécie deverão ser distribuídas por dia de competição, conforme tabela abaixo:

Preliminar 1m / por diaExceto MM ,CN Intermediária1.10m / por dia Principal B1.20m / por dia Principal A 1.30m / por dia
1ºL= R$ 130,00 1º L= R$ 230,00 1º L= R$ 260,00 1º L= R$ 370,00
2ºL= R$ 70,00 2º L= R$ 110,00 2º L= R$ 130,00 2º L= R$ 180,00
3ºL= R$ 60,00 3º L= R$ 90,00 3º L= R$ 100,00 3º L= R$ 140,00
4ºL= R$ 40,00 4º L= R$ 80,00 4º L= R$ 90,00

Total da premiação mínima por concurso = R$ 4.000,00
A premiação em dinheiro é aberta para o geral das categorias de cada altura.

5 - As categorias de alturas superiores, deverão distribuir premiações em espécie em valores superiores aos fornecidos para a mesma colocação de uma categoria disputada em altura inferior. Exemplificando, a premiação para o 1º lugar de uma prova de 1.20m, deverá ser superior à premiação em espécie correspondente ao 1º lugar de uma prova de 1.10m.

Art. 20 - As Entidades que irão sediar os Concursos do Ranking, deverão aplicar a tabela com valores máximos discriminados abaixo, referente às inscrições e estabulagens:

Alturas Preços máximos: inscrições no prazo
0.60m e 0.80m (escolas) R$ 80,00
0.90m (aberta) R$ 90,00
1.00m (preliminar) R$ 100,00
1.10m (intermediária) R$ 110,00
1.20m (principal “B”) R$ 115,00
1.30m (principal “A”) R$ 120,00
* Estabulagens para todas as categorias Até R$ 150,00 (inclusive militares)

* A FCH poderá autorizar no transcorrer do ano, eventual reajuste e/ou diminuição no preço da estabulagem, considerando-se o preço praticado pelos fornecedores.

Art. 21 - Ao final do ranking, a Federação irá fornecer os troféus para os campeões e vice-campeões gerais do ano de 2009.

RESPONSABILIDADES DOS CLUBES/ENTIDADES QUE REALIZARÃO OS CONCURSOS


Art. 22 - Firmar contratos de parcerias/patrocínios sempre que julgar necessário, em nome da Entidade/Clube, não sendo permitida parcerias com concorrentes diretos do patrocinador oficial da FCH.

1- Fornecer no concurso, em número suficiente, os troféus, medalhas e premiação mínima em espécie definida neste regulamento.

2 - Providenciar para que seja disponibilizado o serviço de cronometragem eletrônica (fotocélula) junto ao Júri de campo.

3 - Cobrir os custos dos pró-labores mínimos de contratação, da alimentação(almoço e jantar), hospedagem e transporte(gasolina) dos oficiais e auxiliares convidados (pela entidade e/ou FCH), discriminados na tabela abaixo e que deverão ser designados/homologados pela FCH – da listagem de oficiais de Santa Catarina e credenciados junto a Federação.

Oficiais Honorários mínimos / por dia
- Juiz Oficial, Presidente do Concurso R$ 230,00
- Desenhador de Percursos R$ 260,00 (2 dias e meio)
- Desenhador Auxiliar R$ 130,00
- Juiz Externo (Delegado Técnico) R$ 130,00
- Operador especializado/Fotocélula R$ 130,00
- Médico Veterinário R$ 130,00
- Mesário (apontador de resultados) R$ 100,00
- Juiz Distensão/Padock R$ 80,00
- Auxiliar cerimonial/Decoração (se houver) R$ 50,00
- Pistinhas (auxiliares de pista) R$ *
- Ferrador R$ *
- Delegado da FCH no evento R$ * *

* Pistinhas: valores (R$) definidos em acordo direto com a entidade sede do evento.
* * Pró-labore do Delegado FCH será definido em comum acordo (FCH x Delegado).

4 - Providenciar estabulagem apropriada e em condições de higiene e de segurança aos eqüinos.

5 - Providenciar alojamento apropriado no local do concurso e com condições de higiene e de segurança aos tratadores e motoristas envolvidos no evento.

6 - Providenciar a existência no local do concurso de médico veterinário, ferrador e de pronto socorro imediato - ambulância de plantão no decorrer das provas, devidamente equipada para atendimentos de emergência e com profissionais habilitados.

Art. 23 - Os programas técnicos – em modelo padrão emitido pela FCH, serão complementados pela Entidade que sediar o concurso e deverão ser encaminhados a FCH(fchipismo@hotmail.com) com uma antecedência mínima de 30 dias, sob pena de multa de R$ 500,00 (quinhentos reais) caso o prazo não seja cumprido. A aprovação final da programação técnica é da competência da FCH. Após analisado e aprovado pela FCH, a distribuição do programa completo via e-mail às Entidades é da responsabilidade da FCH.

Art. 24 - Os resultados do concurso, parciais e finais, deverão ser registrados mediante a utilização do sistema de fichas (individuais), as quais, com a devida homologação do Júri de Campo, deverão ser entregues ao final do concurso, em mãos, ao Delegado designado pela FCH no evento.

Art. 25 - Na eventualidade de alguma Entidade/Clube vir a desistir, sob quaisquer argumentações, de realizar a etapa programada em calendário, a FCH deverá ser comunicada por ofício protocolado com 40 dias de antecedência, através de exposição de motivos para apreciação e parecer de sua comissão técnica. No caso de parecer desfavorável, a Entidade/Clube que não assumiu seu compromisso - agendado no ano anterior voluntariamente, irá receber uma multa no valor correspondente a R$ 1.000,00 (hum mil reais) que serão repassados à Entidade/Clube que assumir a etapa do desistente. O não cumprimento deste artigo, implica em suspensão de todos os direitos pertinentes a Entidade/Clube – enquanto perdurar o débito junto a FCH.

 

TROFÉU DESTINADO A ENTIDADE CAMPEÃ DA TEMPORADA


Art. 26 - O troféu destinado a Entidade campeã da temporada da FCH será de posse transitória das Entidades/Clubes filiados a FCH e em dia com suas obrigações - estabelecidas no Estatuto em vigor.

1 - A posse do troféu por três anos consecutivos e/ou alternados, dará direito a posse definitiva do troféu à Entidade.

2 - O cálculo para definir a posse do troféu à Entidade, se dará pela soma dos títulos de campeão e de vice-campeão que cada Entidade houver conquistado na classificação final das categorias e/ou agrupamentos de categorias do ranking, inclusive Escolas. Ainda para o cálculo serão somados os títulos de campeão e de vice-campeão conquistados no Campeonato Catarinense por Categorias. Serão somados pontos também às Entidades com o maior e com o segundo maior número de atletas devidamente filiados (inclusive Escolas) junto a FCH. Para o cômputo deste cálculo, aos títulos de campeão serão atribuídos dois pontos e aos títulos de vice-campeões serão atribuídos um ponto. A Entidade que somar o maior número de pontos será declarada Entidade Campeã da Temporada.

3 - Havendo empate no somatório de pontos entre Entidades, serão adotados os seguintes critérios de desempate:

a) maior número de títulos de campeão obtidos pela Entidade;

b) maior número de títulos de vice-campeão obtidos pela Entidade;

c) Entidade que possuir o título de campeão da categoria e/ou agrupamento de categorias de maior altura do ranking.

 

DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 27 - Para pontuar no RANKING GERAL DA FCH e disputar o Campeonato Catarinense por Categorias, os cavaleiros e/ou amazonas deverão providenciar junto a FCH a filiação anual (tanto dos atletas, quanto dos eqüinos) - antes de efetivamente participar da prova. Cada cavaleiro ao se inscrever deverá informar à categoria que vai iniciar sua participação. As filiações prévias e a correta inscrição nas alturas e categorias são da inteira responsabilidade das Entidades e/ou atletas, não cabendo recurso se tal procedimento não for adotado antes da realização do concurso.

1 - Ser atleta federado é a condição para participar, pontuar e concorrer às premiações em provas oficiais da FCH.

2 - Eventuais apresentações de conjuntos não filiados, em qualquer categoria, não terão seus resultados computados e tão pouco divulgados, não sendo permitido também qualquer disputa por títulos ou premiações de qualquer espécie. Poderão, no entanto, uma vez paga a inscrição e/ou estabulagem na prova, constar da ordem de entrada. Embora sem resultado, os conjuntos estarão sujeitos às penas de eliminação, desqualificação, disciplinares e aos regulamentos vigentes.

3 - A participação de não filiados é permitida somente no primeiro percurso da prova, não classificando, sob nenhuma hipótese, para eventuais desempates.

4 - A homologação de resultados e conseqüente soma de pontos no ranking, só se dará após a regularização junto a FCH, não podendo o atleta e/ou eqüino, resgatar resultados obtidos quando em participações denominadas de não filiados.

5 - Os cavaleiros e/ou amazonas deverão representar Entidades/Equipes filiadas onde seus eqüinos estejam estabulados e em dia com o pagamento da mensalidade junto a FCH.

6 - Para efeito de cômputo dos pontos equivalentes aos títulos conquistados por Entidades, será reconhecida como filiação anual e original do atleta - a sua primeira inscrição/participação.

7 - A FCH irá aceitar, por ofício, o pedido de transferência de representatividade no transcurso do ranking do Campeonato Estadual -, através do pagamento de 50% do valor cobrado na taxa de filiação anual do cavaleiro e/ou amazona. Porém, caso o atleta venha a conquistar o título de campeão ou de vice-campeão, a pontuação correspondente ao título será destinada à Entidade/Clube que procedeu a sua primeira filiação anual e original. No caso da Entidade não admitir a participação de algum atleta como seu representante, o atleta irá levar os pontos conquistados para a próxima Entidade que vier a integrar.

8 - Somente serão aceitas participações de atletas “avulsos” representando a FCH e não uma Entidade/Equipe, para casos onde haja a participação de no máximo dois conjuntos da procedência de onde o atleta tem seu eqüino estabulado.

9 - Atletas domiciliados no Estado de Santa Catarina, conforme legislação pertinente, deverão providenciar suas filiações junto a FCH.

10 - Eventuais transferências para outras federações, deverão ser solicitadas por escrito, através de exposição de motivos, para apreciação da Diretoria Técnica da FCH e posterior encaminhamento para regularizar a transferência, caso haja a devida concordância da nova filiação em outra federação.

Art. 28 - Como requisitos sanitários estabelecidos à participação dos eqüinos, será obrigatória a comprovação e dentro do prazo de validade, dos seguintes documentos:

a)atestados de vacinas contra encefalomielite (anual) e influenza eqüina (semestral), exigido para eqüinos de todas as categorias do ranking (desde Escola 0.60m até as demais alturas);

b)exame negativo de anemia infecciosa eqüina válido;

c) passaporte: todos os eqüinos participantes das provas, sem exceção, deverão possuir;

d) outros exames que venham a ser definidos pelos órgãos governamentais.

1 - Os eqüinos que não portarem os documentos exigidos e dentro do prazo de validade, não poderão, sob hipótese alguma, participar dos eventos hípicos, devendo inclusive ser impedidos de adentrar ao recinto do concurso. Se tal situação ocorrer, serão aplicadas as devidas multas, conforme legislação específica e pertinente da CBH.

2 - Em nenhuma das etapas, a permanência dos eqüinos no local do concurso deve ser compulsória.

Art. 29 - Não será permitida a participação simultânea do eqüino na mesma altura com atletas diferentes, nem a re-inscrição do mesmo conjunto na mesma altura.

Art. 30 - As Entidades/Clubes que irão sediar etapas do ranking estadual, deverão efetivamente realizar provas em todas as categorias previstas no ranking.

Art. 31 - O não cumprimento das normatizações deste regulamento por qualquer Entidade/Clube, irá implicar na descaracterização do evento como concurso oficial do ranking do Campeonato Estadual da FCH.

Art. 32 - Cabe a Diretoria Técnica da FCH, o cômputo e a divulgação oficial dos resultados parciais e finais do ranking do Campeonato Estadual.

Art. 33 - Conforme decisão em Assembléia Geral, nas etapas do Ranking do Campeonato Estadual, não serão mais realizadas reuniões de chefes de equipes antes dos eventos. O Júri de Apelação será composto pelos chefes de equipes presentes ao evento, sob a presidência de um de seus representantes.

Art. 34 - Os atletas representantes da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina, quando participantes dos eventos com eqüinos pertencentes à corporação, deverão pagar o valor da estabulagem se a utilizarem e somente pagarão as taxas de inscrições se auferirem premiações em dinheiro. Caso o eqüino seja da propriedade do atleta militar ou de terceiros, as taxas de inscrições e de estabulagem deverão ser pagas antes da participação na prova.

  1. Conforme decisão do Conselho Regional de Educação Física de Santa Catarina-CREF3/SC, somente poderão atuar como professores/instrutores, aquelas pessoas que estiverem inscritas naquele órgão, conforme estabelece a Lei Federal nº 9.696/98, sob pena das sanções estabelecidas na legislação vigente.

Art. 35 - No caso de ocorrerem circunstâncias fortuitas, excepcionais ou casos omissos a este regulamento, cabe a Diretoria Técnica e de Salto da FCH decidir, apreciando consultas e emitindo pareceres e/ou instruções normativas.

Art. 36 - As inscrições às provas serão providenciadas pelas Entidade enviando e-mail á FCH – fchipismo@hotmail.com com cópia ao Clube que irá sediar o Concurso. A Entidade organizadora do Concurso deverá enviar para a FCH com antecedência de até quarenta e oito horas do Concurso, a relação oficial das inscrições digitadas indicando o nome do atleta, sua equipe, eqüino e categoria/altura que irá participar. A Entidade Sede do evento não irá se responsabilizar pelo alojamento dos eqüinos cujas inscrições não sejam encaminhadas com a requisição de estabulagem dentro do prazo estipulado no Programa. Após o prazo definitivo das inscrições, somente serão aceitos forfaits (desistências) por motivos veterinários e/ou doença do atleta, e por escrito. Caso contrário o atleta/proprietário deverá obrigatoriamente efetuar o pagamento devido pelo aluguel do circo , sob penas disciplinares estabelecidas no Estatuto da FCH.

Art. 37 - Cabe a FCH a responsabilidade das averiguações administrativas sobre a regularidade das filiações.

Art. 38 - Este regulamento entra em vigor a partir da publicação no site www.fch.com.br e a conseqüente distribuição por e-mail às Entidades Filiadas. Todos os outros textos referentes a regulamentos da FCH ficam revogados.

CAPÍTULO II

Artigo 39 - REGULAMENTAÇÃO DAS ESCOLAS DE EQUITAÇÃO

1. O Ranking das Escolas enquadrará os alunos em três Categorias assim definidas:

Escola B - 0.60m

Escola A - 0.80m

Escola Principal 0.90m

Categorias exclusivas para concorrentes que não tenham participado de provas acima da altura de 0.90m. O atleta de Escola não poderá pontuar mais de três anos nesta Categoria

 

2. O Ranking Estadual das Escolas de Equitação, terá validade para as provas mencionadas no Art. 9º e com pontuação definida no Art. 10.

3. Sempre que couber, os demais itens regulamentados no Capítulo I, serão aplicados pela Diretoria da FCH ao ranking das Escolas de Equitação.

4. Cada cavaleiro e/ou amazona só poderá disputar as provas com um eqüino por categoria.

5. Será considerada a participação do atleta independente do eqüino que montar em cada concurso, e é permitida a alternância de eqüino de um dia para o outro durante a realização do concurso.

6. A mudança de categoria é livre, seguindo as diretrizes da Ranking Geral da FCH.

7. Qualquer aluno que venha a saltar provas oficiais da FCH e/ou da CBH em altura superior a 0.90m, não poderá mais pontuar no Ranking das Escolas de Equitação.

8. Os eqüinos participantes das Categorias Escolas, poderão ser montados por no máximo 5 (cinco) cavaleiros e/ou amazonas por dia de competição, atendo-se para a seguinte restrição: os cavalos de Escolas que tiverem 3 (três) ou mais participações no dia, estarão impedidos de participarem em outras alturas. Havendo participação inferior a 3 (três), o cavalo poderá participar mais uma vez no concurso.

09. As Escolas de Equitação poderão utilizar uniformes personalizados, com camisas preferencialmente na cor clara, sendo facultativo o uso da casaca(neste caso com uniforme completo) e com cavaleiros e/ou amazonas trajando culotes brancos ou beje, botas de cano longo e capacete com queixeira.

10. Alunos da Categoria Escola, também deverão pagar uma taxa de filiação/anuidade (reduzida) providenciando o preenchimento devido do cadastro junto a FCH, o qual deverá ser realizado antes da participação efetiva em uma das provas oficiais.

CAPÍTULO III

Artigo 40 - CAMPEONATOS CATARINENSES POR CATEGORIAS

 1 - Os Campeonatos Catarinenses das diversas categorias irão seguir a regulamentação da Confederação Brasileira de Hipismo, com eventuais adaptações regionais, face as características peculiares ao Estado de Santa Catarina – seja nos critérios técnicos referentes aos cavaleiros e/ou amazonas, seja na qualidade do plantel de eqüinos.

2 - O calendário dos Campeonatos Catarinense por Categorias, está assim definido:

Campeonatos Catarinenses por Categorias Datas Entidades Cidades
C.C. Master Maio SHJ Jaraguá do Sul
C.C. MM, Pré M, MR e JC Junho SHC Florianópolis
C.C. Escolas, SR, CN e AM Setembro CELeme Joinville
C.C. Amazonas Outubro PEQ Gaspar

*eventuais mudanças, serão comunicadas com a devida antecedência.

Obs.: Quanto a idade dos atletas: conforme tabela CBH.

 PARTICIPAÇÃO


3 - A participação no Campeonato por Categorias é exclusiva para atletas que formam conjuntos com eqüinos – ambos filiados junto a FCH.

4 - Para efeito de pontuação por equipes e reconhecimento oficial dos títulos individuais, os campeonatos somente poderão ser realizados com as inscrições e participações mínimas de 3 (três) atletas.

5 - É da responsabilidade das Entidades e/ou atletas a filiação antecipada para participação em qualquer modalidade.

6 - As categorias Escolas, são protegidas, ou seja, são exclusivas para cavaleiros e/ou amazonas que não tenham participado de concursos oficiais da FCH/CBH acima da altura 0.90m.

7 - Nos Campeonatos de Escola, os concorrentes só poderão participar com um eqüino e em uma categoria e cada eqüino poderá saltar com no máximo 3 (três) atletas por dia do concurso. Nas demais categorias, a participação fica limitada também a uma categoria, porém admitindo-se até 2 (dois) eqüinos por concorrente.

8 - No evento em que forem disputadas provas das Categorias Juvenil e Júnior ou Mirim e Infantil, o mesmo concorrente não poderá participar de duas categorias, mesmo que com cavalos distintos.

9 - Nos campeonatos de Amadores e de Amazonas um concorrente não poderá disputar simultaneamente dois títulos, como por exemplo: o de Amador D e o de Amador A, ou um título de Amazonas “B”, “C”, “D”, “E”, e o de Amazonas "A".

PONTUAÇÃO


10 - Todas as categorias especificadas anteriormente, inclusive Escolas, serão disputadas em provas realizadas em três dias consecutivos, com contagem por pontos perdidos e/ou similar definida pela CBH.

 

PREMIAÇÃO


11 - É facultativa a premiação em espécie (R$) para todas as Categorias, porém será devolvido o valor da inscrição e da estabulagem do concurso ao campeão - sendo o pagamento da responsabilidade das Entidades que irão sediar os campeonatos.

12 - Os troféus, as medalhas e as faixas, serão padronizados para todos os campeonatos e serão providenciados pela FCH, com custos de 50% para a FCH e 50% para a Entidade que sediar o evento.

 DISPOSIÇÕES GERAIS

13 - A Diretoria da FCH, sempre que julgar necessário e dentro da aplicabilidade, irá adotar os itens pertinentes da regulamentação do Ranking Estadual, edição 2009.

14 - É da responsabilidade da Diretoria Técnica da FCH, com antecedência de trinta dias da realização de cada campeonato – estabelecer contato por ofício/convite a todos as Entidades, cavaleiros e/ou amazonas filiados, promovendo a divulgação dos pré-requisitos atualizados e específicos para participação em cada categoria.

CAPÍTULO IV

Artigo 41 - CRITÉRIOS DE SELEÇÃO NA FORMAÇÃO DE EQUIPES

REPRESENTATIVAS EM CAMPEONATOS BRASILEIROS

1. Todos os conjuntos que venham a representar alguma equipe catarinense em Campeonatos Brasileiros, deverão estar prévia e regularmente filiados junto a FCH.

2. No ano 2009, para integrar alguma equipe catarinense, os cavaleiros e/ou amazonas deverão disputar o campeonato catarinense da categoria específica ou ter participado do ranking de entrada da FCH na altura da modalidade que será disputada no Campeonato Brasileiro. A composição das equipes será divulgada por edital da Diretoria da FCH, com a devida antecedência.

3. As equipes serão formadas por no máximo 4 (quatro) atletas, inexistindo reserva. Para a composição da Equipe "A" serão adotados os critérios que seguem:

- campeão do campeonato catarinense;

- vice-campeão do campeonato catarinense;

- líder provisório do ranking da FCH até a etapa que precede o respectivo Campeonato Brasileiro;

- escolha técnica - a cargo exclusivamente da Comissão Técnica da FCH;

- A Equipe “B” irá seguir a classificação provisória do ranking estadual.

Caso o campeão ou vice-campeão da categoria seja o mesmo conjunto líder do ranking estadual, a vaga fica para o próximo conjunto melhor classificado no ranking provisório, e assim por diante.

Não sendo possível completar a(s) equipe(s) de acordo com os critérios anteriores, a Comissão Técnica da FCH, sempre que necessário, poderá convidar cavaleiros e/ou amazonas para tal finalidade.

4. Sempre que a FCH, a seu critério, julgar que há disponibilidade financeira, irá cobrir os seguintes custos dos integrantes da Equipe Principal (“A”) - por participação em Campeonatos Brasileiros:

- da estabulagem e do transporte de um cavalo, bem como de uma inscrição ao campeão catarinense da respectiva categoria;

- de uma inscrição e de uma estabulagem ao vice-campeão catarinense;

- da inscrição aos demais integrantes da equipe.

 

Publique-se no site www.fch.com.br e encaminhe-se por e-mail às Entidades e Equipes Convidadas filiadas a FCH.

Para efeito de comprovação da redação, é válido o documento original assinado e arquivado na Secretaria da FCH.

Santa Catarina, 10 de fevereiro de 2009.

 

Artisio Marchiori Prandini, Presidente da FCH

Nestor Angel Deluchi, Diretor de Salto

Edson Leme, Diretor Administrativo

1

Imprimir!  

Compartilhe/Guarde este conteúdo.O que é isso?

GuardeIndiqueGoogleRec6DiggLinkk

Indique para alguém... 
 
 
 


Voltar!  Topo!

Todos os direitos reservados 2020 | FCH - Federação Catarinense de Hipismo | by softd